Welcome, guest! Please login or register.

Autor Tópico: Fugindo do Inferno  (Lida 108 vezes)

Offline Chapeuzinho Vermelho

  • Carregador de Tochas
  • ***
  • Mensagens: 388
  • Reputação: +7/-0
  • Aquilo que você acredita, se torna real.
Fugindo do Inferno
« Online: Abril 19, 2017, 05:37:52 am »
Vou começar novamente uma aventura que já mestrei aqui uma vez, é uma aventura de fantasia medieval com sistema próprio, mas bem simples.

Como é uma aventura para iniciantes, vamos começar de uma forma diferente, no começo ninguém saberá praticamente nada do cenário, pois viveram sempre isolados do resto do mundo, e até a ficha será simplificada, sem valores de atributo nem nada, pois estes valores só serão dados na segunda fase, portanto ninguém precisa ter receio de não conhecer o sistema.

Esta aventura deve ser relativamente rápida e, se tudo der certo, servir como introdução para outra bem maior. Não se assustem com o título e a introdução, apesar de começarmos num clima bem hostil, a aventura não será só de terror, vai ter muita estratégia, interação social e até algumas partes de humor.



Viver num inferno nunca é algo agradável, mas nascer nele é pior ainda. Aqui dentro não há sonhos, não há alegria, não há esperança... até agora.



Vocês nasceram em uma cidade-prisão controlada por demônios, nunca saíram de seus muros e nada conhecem fora deles, talvez nem acreditem que exista algo além dos muros. A cidade é chamada simplesmente de prisão ou mesmo "inferno".

A morte, a dor, a escravidão, são companhias diárias, todos são escravos de algum demônio e trabalha pra ele(a) desde que nasceu. A cidade-prisão é comandada pelos íncubus e súcubos, mas várias outras raças demoníacas possuem seus escravos.

A rotina é sempre a mesma, e quem não obedece paga caro. Sempre há quem não resiste ao desejo de fugir da prisão, e acabam torturados ou mortos, geralmente em público para servirem de exemplos.

A cidade vive envolta numa neblina, a luz de Hélius (estrela) nunca chega completamente, tudo tem uma cor preta ou marrom, as casas e até templos vivem meio em ruínas (a não ser dos demônios mais influentes, que são os únicos que tem alguns poucos luxos), as árvores raramente têm folhas e menos ainda frutos. Para piorar, até a água (que sempre foi pouca) está acabando.

Como nem mesmo os demônios podem viver ser água, foi montado uma força tarefa para buscar água fora da cidade, e, por algum motivo, você foi escolhido. Será a primeira vez que passará dos muros da cidade. Várias "recomendações" (ameaças) são feitas para que não tentem ter ideias. Muitos demônios e outros escravos irão juntos para garantir que ninguém escape.

Os portões se abrem, fora deles há um grande deserto, não é bonito, mas pelo menos é fora da cidade. Vocês seguem marchando, a vontade de correr é grande, mas pra onde? Não há nada a não ser deserto e seriam mortos rapidamente.

Vocês não tem esperanças o bastante, apenas apreciam o que talvez será sua única experiência nesta vida fora dos muros da prisão... até que algo estranho acontece!



A ideia é emendar várias pequenas aventuras para ir apresentando o cenário e o sistema devagar, as primeiras podem ser um pouco monótonas, pois será só exploração, mas com o tempo tudo ficaria mais e mais complexo. Aos poucos irei colocar valores nas fichas.

Bom, pode parecer meio confuso no começo, mas a proposta é basicamente esta, começar do zero mesmo e ir evoluindo até o personagem se tornar uma lenda. O cenário é medieval, terá bastante magia e um mundo inteiro para descobrirem. Nem tudo será fácil fora da cidade-prisão, mas para quem viveu como escravo até hoje...

Inicialmente nesta aventura só duas raças são permitidas: humanos ou demônios, podendo também escolherem ser híbridos. Mas se alguém chorar muito, talvez eu permita outras raças (centauros ou sereias). Independente da raça, todos os jogadores são escravos desde que nasceram.

A ficha será basicamente descrever como era sua vida neste lugar miserável, não precisa ser algo muito elaborado, já que todos têm mais ou menos as mesmas experiências, e o lugar em que viviam também não tinha muita coisa interessante pra fazer, era só questão de sobrevivência.

Todos jogadores nasceram dentro dos muros; podem até ter falado com outros prisioneiros (até os próprios pais) que dizem já ter vivido em outro lugar fora da cidade ou podem ter ouvido boatos de outros lugares fazendo algum trabalho para seus donos, mas não conhecem nada fora dos muros.

Vocês são relativamente jovens (entre 12 e 19 anos) mas devido a vida sofrida, podem ter "madurado a força". Cada um pode imaginar o que quiser para função que faziam para seus senhores ou senhoras, tipo: escravo braçal (maioria), ajudavam em algum templo ou com rituais, serviam como escravos sexuais, trabalhavam em pedreira ou colhendo o que quer que seus donos mandassem...

Os demônios da cidade têm aparência diversa, mas são basicamente humanoides com algumas características animais: chifres, cascos, garras, asas... alguns podem parecer lobisomens ou ter a pele toda escamada, alguns são extremamente magros... mas eles são fisicamente mais fortes que os humanos. Apesar da cidade ser dominada por demônios, muitos demônios são escravos iguais vocês. Outro detalhe importante: assim como os humanos, os demônios são fisicamente vulneráveis, sangram quando feridos e podem até ser mortos por qualquer meio físico (ou quase).

Os íncubos e súcubos são mais parecidos com humanos e normalmente são até bem atraentes (e como eu disse, eles que mandam na cidade). Cada um pode escolher como seria seu ou sua dona (pode ser um íncubo, uma súcubo, ou um demônio comum), alguns são mais violentos, outros podem até não ser tão ruins com os escravos, mas a violência está presente na cidade inteira. Estes donos(as) não vão acompanhar vocês na tarefa de ir buscar água. Alguns dos donos serão inclusive obrigados a ceder alguns de seus escravos para esta tarefa de buscar água fora da cidade.

Vocês sabem que alguns poucos demônios tem poderes mágicos fortes, até já viram em ação, mas são muito poucos, e entre os escravos, se houvesse sequer a suspeita de um potencial mágico, era morto rapidamente.

O único deus que vocês conhecem é Ades, deus da morte. Vocês podem ser ateus ou cultuar este deus, embora não tenham muito motivo para isto, mas talvez vejam a morte como uma esperança de algo melhor. Quando conhecerem outros deuses poderão mudar isto na ficha. Se acharem uma desculpa boa, o dono(a) de seu personagem pode ser secretamente seguidor do deus do fogo (Piro) e lhe falou algo sobre este outro deus, mas é claro que você precisa manter segredo disto.

Dentro da prisão só se fala o idioma dos demônios (língua moloke) e é a que vocês sabem falar. Mas um ou dois jogadores pode inventar uma desculpa para falar um segundo idioma, p.ex.: você trabalhava no templo ou biblioteca do seu senhor(a) e ele resolveu ensinar o idioma para facilitar algumas de suas tarefas, ou você viveu junto com outro escravo que falava este idioma e lhe ensinou em segredo, ou até seu senhor(a) tinha algum POUCO de afeto por você e ensinou, ou qualquer outra coisa que pensar. Este segundo idioma pode ser Esperanto, tareno, traarnak ou sella. Seria bom que pelo menos um pensasse numa desculpa pra isto.

Descrevam também as características físicas de seus personagens, podem por foto. Qualquer outra coisa que te diferencie pode acrescentar também.

Nota, quando estiverem já fora dos muros da cidade-prisão, todos serão atingidos por raios, e a cor dos raios que atingirem seu personagem será importante mais na frente para definir alguns poderes que ele ganhará. Seus personagens podem escolher ser atingido por apenas um, dois, ou três raios, sendo que quem escolher um número maior, se tornará mais forte no futuro, mas vai demorar mais para desenvolver seus poderes especiais. Vocês podem escolher o número e cor ou podem deixar que eu escolho, sendo que as cores são: preto, branco, azul, verde e vermelho, cada um representando um tipo diferente de magia (água, terra, fogo, ar e magia negra)

Alguém anima? Aguardo as dúvidas.

Offline AlexBarros

  • The Watcher
  • Derroto Quase Tudo
  • *********
  • Mensagens: 5.623
  • Reputação: +25/-18
  • Feel the Force... Use the Force...
Re:Fugindo do Inferno
« Resposta #1 Online: Maio 03, 2017, 04:21:09 pm »
Voltamos
"Os talentosos atingem metas que ninguém mais pode atingir; os gênios atingem metas que ninguém mais pode ver" - Arthur Schopenhauer

"Deus conseguiu fazer o mundo em  6 dias porquê não tinha ninguém perguntando quando ia ficar  pronto. Agora para um programador esta frase é feita a cada 6 minutos"

Offline Chapeuzinho Vermelho

  • Carregador de Tochas
  • ***
  • Mensagens: 388
  • Reputação: +7/-0
  • Aquilo que você acredita, se torna real.
Re:Fugindo do Inferno
« Resposta #2 Online: Maio 06, 2017, 09:16:49 am »
Alguém vivo?

Offline Gun_Hazard

  • Anarquista de Plantão
  • Aventureiro Castigado
  • *******
  • Mensagens: 2.106
  • Reputação: +368/-357
    • Falha Crítica
Re:Fugindo do Inferno
« Resposta #3 Online: Ontem às 04:50:08 pm »
Acho que estou.
Se não puder ajudar, atrapalhe, o importante é participar!

Não Existem Regras Aqui – Nós Estamos Tentando Realizar Algo!

Tags:

Com a Resposta Rápida pode usar o código BBC e os smileys como numa mensagem normal, mas muito mais rapidamente.

Nome: Email:
Anti-spam: complete the task